EBD Betel Lição 01 – Enfrentando e Vencendo as Adversidades.

 

Texto Áureo

“Amado, desejo que te vá bem em todas coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma.” (3 João 2)

Verdade Aplicada

Permanecendo em Cristo, mesmo no presente século, é possível enfrentar e vencer as muitas aflições e adversidades.

Objetivos da Lição

1 – Apresentar o que levando as pessoas a sofrerem tanto;
2 – Mostrar que nem tudo é de origem espiritual;
3 – Ensinar o que fazer para identificar o que está atormentando o indivíduo.

Textos de Referência

Sl 13.1 – Até quando te esquecerás de mim, Senhor? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto?
Sl 13.2 – Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo?
Sl 13.3 – Atenta em mim, ouve-me, ó Senhor, meu Deus; alumia os meus olhos para que eu não adormeça na morte;
Sl 13.4 – Para que o meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele; e os meus adversários se não alegrem, vindo eu a vacilar.
Sl 13.5 – Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação, meu coração se alegrará. 

Hinos Sugeridos: 

Hino 135

Hino 154

Hino 491

INTRODUÇÃO

Neste trimestre estudaremos um assunto de grande interesse para todos, pois comportamentos desenvolvidos por portadores de enfermidades da alma têm sido cada vez mais notórios entre os membros da igreja.

1. Uma Questão Presente

Já é assunto discutido e comprovado que a modernidade e a tecnologia são vistas como fatores agravantes no surgimento de problemas emocionais. A cada dia que passa o crescimento de tais comportamentos tem preocupado a sociedade como um todo, e a igreja de Cristo como instituição não pode virar as costas para este problema cada vez mais presente entre os seus membros.

1.1 Uma visão Extraordinária

O posicionamento de vanguarda da liderança do Ministério de Madureira tem proporcionado ao alunos da Escola Dominical uma oportunidade ímpar de ter acesso ao conhecimento de assuntos que antes eram vistos como matérias de pouco interesse por parte da maioria dos integrantes da membresia da igreja. No segundo trimestre de 2014, por exemplo, estudamos sobre as enfermidades da alma. Naquela ocasião, muitos irmão começaram a ter conhecimento de que estavam vulneráveis a enfermidades que agem na alma, dificultando uma comunhão plena com o Criador.

Explicação do Comentarista ao Professor

É do conhecimento de todos que o homem vive num corpo sujeito à enfermidades e, também,  a influências externas, que pode causar desequilíbrio emocional. Em Sua oração sacerdotal, Jesus mostra que o ser humano habita num mundo perverso, mas o seu pedido não foi para que o Pai retirasse os seus discípulos do mundo, mas que os livrasse do mal (João 17.15). 

A Palavra de Deus afirma que o Senhor guardará e protegerá, também, a nossa alma (Sl 121.7)

1.2 Afetando Relacionamentos

Durante este trimestre, serão apresentados transtornos e síndromes que causam desequilíbrio e afetam diretamente os relacionamentos interpessoais dos indivíduos, a comunhão destes com a igreja e, consequentemente, com Deus. Os traumas emocionais surgem durante a existência humana e devem ser tratados. Muitas são as origens destas enfermidades. Elas podem decorrer de fatores genéticos, físicos ou emocionais, e, sem dúvida, irão causar desajustes de personalidade, que levarão o indivíduo a ter uma vida conturbada. A igreja deve estar preparada para cuidar de quem sofre com esses males e mostrar que Deus não faz acepção de pessoas e que todo que nEle crer não será confundido (Rm 9.33; 10.11).

Explicação do Comentarista ao Professor

Durante muito tempo, algumas das enfermidades que serão estudadas foram confundidas com possessão demoníaca. Isso, na maioria das vezes, causava tremendos constrangimentos, levando famílias inteiras a se afastarem da igreja por vergonha, ou até mesmo, por esfriamento da fé.

O afastamento da comunhão, na verdade, se torna uma situação perigosa para quem sofre com tais enfermidades, pois, o indivíduo passará a sofrer também com os ataques do mundo espiritual.

1.3 Conhecer para Ajudar e Enfrentar

Esta revista não tem a intenção de transformar os alunos em profissionais habilitados para o tratamento de quem apresentar os sintomas das enfermidades nela apresentadas. Mas, sim, trazer à luz informações que possam ajudar na observação de comportamentos, capacitando os irmãos a apoiar o indivíduo na busca do melhor tratamento. Quando se tem conhecimento acerca do que está ocorrendo, até a oração torna-se mais específica e o indivíduo alcança a bênção desejada. Tudo que é bom vem do Senhor (Tg 1.17). Logo, o conhecimento é uma dádiva divina que devemos desfrutar.

Explicação do Comentarista ao Professor

Orar é colocar a nossa fé e esperança em Deus e crer que seremos atendidos. Ao longo do nosso estudo, descobriremos que muitos dos transtornos que veremos não tem cura atestada pela ciência, mas, em Cristo Jesus, mesmo estando em aflição, podemos ter bom ânimo (Jo 16.33).

Mesmo que a cura não seja totalmente confirmada pela ciência, quando o homem permanece próximo ao Senhor, terá garantida uma vida equilibrada, pois Ele é o Deus de toda a consolação, que sempre ajuda o Seu povo (2 Co 1.3-4). 

Fazer parte do corpo de Cristo é uma garantia de que o cuidado de Deus estará sobre ele, pois o que é impossível para o homem é possível para Deus (Mt 19.26).

2. Nem Tudo é de Origem Espiritual

Existe uma tendência em se tentar provar que qualquer forma desequilíbrio é de origem espiritual. Em algumas situações o fator espiritual se faz presente e pode desencadear sintomas semelhantes à determinadas enfermidades, entretanto, isto não deve ser visto como uma regra.

2.1 Tratando Enfermidade como Enfermidade

Infelizmente, por falta de conhecimento, muitos portadores de transtornos psiquiátricos e neurológicos têm sido aconselhados a procurarem algumas religiões de matrizes espíritas para “desenvolver”. Isto acaba por se transformar em uma verdadeira lástima, pois a falta de acompanhamento médico e um tratamento com a medicação correta tende a piorar o quadro. A igreja de Cristo não pode se deixar influenciar por tais atitudes e considerar que os enfermos estão, automaticamente, endemoniados. Alguns grupos neopentecostais tentam apresentar soluções, fazendo espetáculos de expulsão de demônios, o que só aumenta a insegurança e incerteza dos portadores e seus familiares.

Explicação do Comentarista ao Professor

A posição da igreja deve ser equilibrada e todos esses eventos devem ser estudados, pregados e ensinados, levando em conta os mais diversos fatores causadores de enfermidades que atingem diretamente a alma, pois atitudes diferentes aumentam o sofrimento do doente e daqueles que o amam, causando um mal estar na comunidade ao qual pertence. 

É preciso ser prudente (Pv 16.16).

2.2 Sintomas Patológicos Confundidos com Possessões demoníacas

Algumas patologias são facilmente confundidas com situações de possessão. Os sintomas destas enfermidades confundem os leigos, fazendo com que elas sejam tratadas de maneira errada. Demências; delírios; alucinose orgânica e outras; transtornos devido ao uso de substâncias psicoativas; esquizofrenia e similares; transtornos psicóticos agudos; transtornos delirantes e esquizoafetivos; transtornos do humor; transtornos neuróticos; todas estas encontradas na classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID-10. Algumas delas iremos estudar nesta revista. Ninguém está livre de sofrer com estes males, mas o que temem ao Senhor podem clamar, que serão libertos de todas as suas angústias (Sl 34.17).

Explicação do Comentarista ao Professor

O Pr Wagner Gaby escreveu que "especialistas e a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmam que as doenças decorrentes de distúrbios mentais e de problemas neurológicos serão ainda maiores nas próximas décadas. em relatório publicado em 1999, a OMS afirmou que neste milênio a mente vai estar mais doente do que nunca, como resultado de múltiplos e complexos fatores sociais, biológicos e psicológicos".

Ao nos voltarmos para a Bíblia, encontramos vários textos que nos orientam como devemos nos comportar diante dessa realidade do mundo em que vivemos. O Salmo 13 indica como Davi agiu: Apresentou a Deus sua inquietação e impaciência; crê que Deus é seu Ajudador; suplica que o Senhor o revigore; confia no amor e cuidado de Deus; canta louvores ao Senhor.

2.3 O Perigo da Interpretação Equivocada

A epilepsia não é propriamente uma enfermidade da alma, já que se trata de uma doença neurológica, mas, devido a uma grande confusão instalada no meio eclesiástico, não pode deixar de ser, pelo menos, comentada. Os textos de Mateus 17.14-21. Marcos 9.14-29 e Lucas 9.37-45 leva muitos a uma interpretação equivocada, simplesmente por constar neles a palavra convulsão (Lc 9.42), um sintoma próprio da epilepsia. Mas, uma leitura criteriosa do texto nos três evangelhos deixa claro que o menino liberto por Cristo estava possesso e não enfermo. Jesus curou diversos tipos de enfermidades, algumas delas provocadas por ação de demônios, como no caso da mulher encurvada (Lc 13.10-17). Portanto, qualquer que seja a origem de uma doença ou problema, o Senhor Jesus é poderoso para socorrer (Mt 28.18; Hb 13.8).

Explicação do Comentarista ao Professor

O Bispo Primaz Manoel Ferreira assim comentou: "Embora não se possa dizer que todas as deformidades físicas (Lc 13.10-13), as enfermidades e problemas psicológicos (Mt 17.14-21) são ação do demônio ou porque alguém pecou seriamente (Jo 5.13-14), Ao analisarmos a Bíblia, verificamos que tudo é consequência do pecado original".

Notemos que nem sempre o evangelista Mateus relaciona a epilepsia a demônio (Mt 4.24). Cristo pode curar o ser humano não apenas de enfermidades físicas, mas também emocionais e espirituais. O que a igreja não pode é ignorar que, ao lidar com diferentes situações, é preciso discernimento, equilíbrio, informação, oração, Palavra de Deus e a indispensável orientação do Espírito santo.

3. Tempos Difíceis e Trabalhosos

O cristão não deve se surpreender por vivenciar tempos difíceis e trabalhosos (2 Tm 3.1; 1 Pe 5.10). O que ocorre é o aumento de mensagens de triunfalismo, contribuindo, assim, para que o servo de Deus desenvolva uma mentalidade e atitude distorcida quanto ao lidar com os sofrimentos e as adversidades.

3.1 A Relevância da Prática Devocional

Como primeiro destaque na abordagem de como vivermos em tempos trabalhosos e difíceis, está a importância da prática devocional. Dedicarmos um tempo diariamente à meditação bíblica e oração muito contribui para o desenvolvimento da nossa estrutura espiritual e emocional, A existência do “dia mau” (Ef 6.13) em nossa vida debaixo do sol é uma realidade. Contudo, a Bíblia nos ensina a estarmos estruturados para enfrentar tal dia. Notar que o texto orienta a tomarmos a armadura de Deus antes que chegue o dia mau. E aí, podemos incluir tanto ataques diretos do inimigo, como diversas situações adversas que enfrentamos no nosso dia-a-dia.

Explicação do Comentarista ao Professor

O Bispo Abner Ferreira escreveu: "Sob a perspectiva da soberania divina, todos os tipos de provações e adversidades são reais, devendo ser esperados na vida do crente genuíno (Ec 9.2). Entretanto, relutamos em aceitar o papel que o sofrimento e a provação desempenha em nossa vida (Ec 2.17). Ficamos sempre a questionar a Deus os "porquês" das provações e sofrimentos, sem, contudo, aprender o que elas nos ensina (Tg 1.3: 1 Pe 1.7)".

3.2 A Importância do Papel da Família

São muitas as dificuldades enfrentadas pelo indivíduo para ajustar-se à realidade do mundo atual, levando muitos a viverem uma frequente desestabilização emocional, crise existenciais e inúmeros transtornos comportamentais. Tal realidade também está presente entre os membros da igreja. Neste contexto, a família tem um papel relevante na identificação e tratamento. Quanto antes percebido o problema vivenciado pela pessoa, mais cedo inicia o tratamento e, consequentemente, mais qualidade de vida será proporcionada. É muito importante os pais e responsáveis estarem atentos ao comportamento das crianças, adolescentes e jovens no dia-a-dia.

Explicação do Comentarista ao Professor

Um bom relacionamento familiar é fundamental na prevenção, identificação precoce e no tratamento dos diversos traumas e doenças psicoemocionais. Infelizmente, nem sempre uma família participa ativamente na vida dos filhos, tendo em vista a preocupação em angariar recursos financeiros para a manutenção do lar. 

Principalmente na infância e na adolescência, os pais precisam ficar atentos aos aspectos emocionais e comportamento dos filhos. Os Salmos 127 e 128 são textos bíblicos que revelam o interesse de Deus na edificação, provisão e segurança da família.

3.3 A Importância da Comunhão na Igreja

Um dos resultados da ação do Espírito Santo na igreja é a comunhão (At 2.42; 1 Co 12.13). Se somos filhos de Deus, somos templo do Espírito Santo, então esta verdade se manifestará, também, no cuidado e socorro mútuos. O texto de 1 Jo 1.7 revela que “se andarmos na luz… temos comunhão uns com os outros…”. Em dias de tanto individualismo e competição, a igreja precisa manter-se firme na Palavra de Deus, pois a vida nascida de novo é vivida com humildade, mansidão, suportando e amando uns aos outros (Ef 4.2). É um verdadeiro bálsamo e refrigério para aquele que sofre algum trauma ou doença da alma, encontrar na igreja um ambiente acolhedor e que é alvo de amor, atenção e cuidado por Deus e por aqueles que ali estão, independente de seu estado de saúde.

Explicação do Comentarista ao Professor

Neste trimestre, teremos a oportunidade de estudar assuntos que não são comuns na EBD. Será uma ocasião de possibilitar aos membros da igreja acesso a um tipo de conhecimento que os ajudará muito no ministério que eles irão desenvolver, pois, em qualquer área que se faça a obra de Deus, é necessário que haja cuidado com o ser humano e este cuidado deve ser expresso com amor e dedicação.

CONCLUSÃO

Enquanto estivermos neste mundo, enfrentaremos diversas situações difíceis. É sempre bom lembrar que fomos feitos por Deus com corpo, alma e espírito. Assim, há momentos que precisamos recorrer, também, a tratamento com um profissional de saúde. Mas, sempre poderemos contar com o socorro do Senhor.

Questionário

1. Para que a igreja deve estar preparada?
R. Para cuidar de quem sofre com esses males e mostrar que Deus não faz acepção de pessoas e que todo que nEle crer não será confundido (Rm 9.33; 10.11).

2. O que vem do Senhor?
R. Tudo o que é bom (Tg 1.17).

3. Qual é a dádiva divina que devemos desfrutar?
R. O conhecimento (Tg 1.17).

4. Quais textos levam muitos a uma interpretação equivocada?
R. Mateus 17.14-21, Marcos 9.14-29 e Lucas 9.37-45.

5. Qual é o sintoma próprio da epilepsia?
R. Convulsão (Lc 9.42).

 

                     Leitura Obrigatória   – Faça o Download                 

 

Bibliografia

Revista EBD Betel Dominical Professor – 1º trimestre 2019, ano 29, número 110 – Editora Betel

                     Vídeo Aulas Sobre a Lição – Bom Estudo!                      

 

 

 

Clique aqui no link da Escola Bíblica Dominical e veja as demais lições!


Pr Soley
Pr Soley

Nascido aos 04 de abril de 1973 em Amambaí-MS. Subtenente da PMTO. Casado com a Diaconisa Eliana Machado e pai de dois filhos abençoados: Camilla Eduarda e Raul Soley. Converteu-se ao Evangelho de Cristo em Janeiro de 2010 na cidade de Colmeia-TO. Atualmente congrega na Igreja Assembleia de Deus Nação Madureira Campo de Colmeia-TO. Serve ao Senhor como Coordenador e Professor da EBD Betel na Igreja Sede, Professor do Curso Médio em Teologia pelo IBAD e Coordenador da Juventude da Região Médio Norte do Tocantins. Pela graça de Deus!