EBD Betel Lição 6 – Enfrentando as Diferentes Investidas do Inimigo

 

 Texto Áureo        

“E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco” (Ne 6.3)

 Verdade Aplicada        

Quando trabalhamos para Deus, a oposição se apresenta de várias formas. Para enfrentá-la, é de suma importância uma vida de oração, crendo que o Senhor nos livrará e providenciará o necessário para o nosso sustento.

 Objetivos da Lição        

1 Explicar que o inimigo não nos dá trégua;
2 Apresentar táticas para vencer os opositores;
3 Mostrar como resistir à intimidação.

 Textos de Referência:         

Ne 6.1. Sucedeu mais que, ouvindo Sambalate, Tobias, Gesém, o arábio, e o resto dos nossos inimigos que eu tinha edificado o muro e que nele já não havia brecha alguma, ainda que até este tempo não tinha posto as portas nos portais.
Ne 6.2 Sambalate e Gesém enviaram a dizer: Vem, e congreguemos-nos juntamente nas aldeias, no vale de Ono. Porém intentavam fazer-me mal.
Ne 6.3 E enviei-lhe mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco?

 Hinos Sugeridos:         

 Hino 267 

 Hino 386 

 Hino 394 

INTRODUÇÃO

Nesta lição, veremos os inimigos da obra do Senhor agindo mais uma vez. Quando faltava a colocação dos portões nas muralhas, Neemias se vê outra vez sob intenso ataque inimigo, mas ele reage de forma surpreendente.

1. Velhos Inimigos Novas Máscaras

A dinâmica do Reino de Deus deixa claro que não fomos chamados para nos acomodarmos enquanto esperamos a volta de Cristo, mas, sim, conforme Efésios 6.17, para colocarmos um capacete e irmos para a guerra. Portanto, é fundamental uma postura de constante vigilância, oração e atitudes dirigidas pelo Espírito Santo (2Ts 5.17; 1Pe 5.8-9). É exatamente isso que Neemias viveu na obra do Senhor. Desta vez, os velhos inimigos se reapresentaram, agora, com outras estratégias de ataque. Neste tópico analisaremos algumas delas.

1.1.  Buscando a Distração dos Trabalhadores

A esta altura, o projeto encabeçado por Neemias estava bem adiantado. Os muros estavam construídos, mas ainda lhes faltavam a restauração das portas (Ne 6.1). Com isso, vale dizer que a cidade continuava exposta ao perigo. Os inimigos da obra, sabendo desse detalhe, empreenderam mais um ataque na esperança de distrair os trabalhadores. É interessante notar que os servos de Deus já haviam feito mais de 50% da obra. E é geralmente quando estamos na metade do caminho rumo à benção que os ataques se intensificam. 

1.2. Falsa Aparência Amigável

Certamente, todo inimigo nos dará trabalho, mas, talvez, não haja inimigo mais perigoso do que aquele não declarado. Infelizmente, essa espécie age na surdina. Às vezes, são tão descarados que buscam aproximação, a fim de analisar possíveis pontos fracos, por meio dos quais podem nos bombardear. Agora, os que são “do contra” querem estabelecer um diálogo. O texto de Neemias não deixa dúvidas de que os inimigos externos já possuíam aliados do lado de dentro (Ne 6.14, 17-19). Procurando o diálogo, queriam aumentar o número dos que poderiam jogar do seu lado e, assim, atender seus interesses escusos.

1.3.  Afastar ou Intimidar o Líder

A geografia bíblica nos diz que o vale de Ono ficava na metade do caminho entre Jerusalém e Samaria (Ne 6.2). A distância a ser vencida numa caminhada ou mesmo com o emprego de outro meio de transporte tomaria tempo e energias dos trabalhadores. O convite para um encontro no vale de Ono era uma tentativa de afastar Neemias de Jerusalém. Tentaram deixar transparecer que a realização de uma conferência seria em um território neutro. Contudo, Neemias se afastando ficaria mais vulnerável (é possível que planejassem matá-lo ou raptá-lo) e o ritmo da obra de Deus certamente diminuiria. Porém o servo de Deus estava atento, sempre procurando agir com prudência, e logo percebeu a má intenção de Sambalate e Gesém. Ainda hoje o inimigo tenta afastar os servos de Deus do serviço cristão ou paralisá-los. Ainda que aparentemente tenha desistido, enquanto estivermos nesta terra, o inimigo não desistirá de tentar nos deter (Lc 4.13).

2. Táticas para Vencer os Opositores

As insistentes e constantes investidas do inimigo muitas vezes podem provocar abatimento nos servos de Deus, mas não destruí-los (2Co 4.9). Ao longo do livro de Neemias, temos notado que a oração era uma constante na vida deste servo de Deus. Portanto, seja qual for a tática a ser adotada para vencer os opositores, nunca será dispensada a oração (Ef 6.18). A postura de Neemias deve ser a nossa também. Aprendamos mais com esse destacado líder.

2.1.  Discernimento, uma Importante Arma de Defesa.

Neemias demonstra ser um servo de Deus maduro. Não que possuísse uma grande quantidade de anos de vida com Deus, como às vezes acontece com alguns, e tal como o é com pessoas que possuem muitos anos de igreja e, consequentemente, de idade. Estas, porém, muitas vezes vivem ainda em suas infâncias no que tange ao crescimento espiritual (1Co 3.2). Maturidade espiritual não é mensurada pela idade ou tempo de igreja, mas, sim, pelas atitudes do cristão. Com isso, Neemias pôde lançar mão de sua primeira arma de defesa: o discernimento espiritual (Ne 6.2,10-12). Ele não se deixou ludibriar pelos encantos do convite ao diálogo amistoso.

2.2. Manter o Foco, uma Arma Indispensável na Obra do Deus.

Muitas vezes, o cristão acaba perdendo o fio da meada em meio à sedução por coisas menores. Neemias não. Ele tinha em mente a importância da obra para a qual fora responsabilizado. Quem anda em sintonia com o Senhor enxerga todas as tarefas, mas mantém o foco no que realmente é prioridade (At 6.1-4).Precisamos saber que estamos envolvidos numa grande obra.O reino de Deus é essa grande obra. E nossa função é importantíssima, pois a Bíblia diz que somos cooperadores de Deus (1Co 3.9).

2.3. Oração, uma Arma Fundamental para Renovar as Forças.

Nada do que Neemias empreendeu ao enfrentar os ataques inimigos seria duradouro ou mesmo aconteceria se não alimentasse uma vida de oração. Os recursos disponíveis não são nada se não contarmos com a indispensável ajuda divina (Sl 18.29). Ao final do versículo 9, Neemias faz um pedido especial: “Agora, pois, ó Deus, esforça as minhas mãos” (Ne 6.9). Dessa maneira, pôde prosseguir, pois mantinha constante contato com o Senhor Deus.

3. Resistindo a Intimidação

A notícia de que Neemias ia bem na condução dos trabalhos causou uma tremenda perturbação em Sambalate, Todias e Gesém, além dos demais membros do grupo opositor (Ne 6.1-2). Eles perceberam que suas estratégias falharam e sofreram grande frustração. Não fosse a confiança na providência divina, talvez os judeus já tivessem desistido da reforma. Contudo, Neemias contava com os recursos espirituais com os quais o Senhor sempre está pronto a suprir àqueles que O buscam (Is 55.6).

3.1. Consolidando as Conquistas.

O imenso progresso atingido pelos trabalhadores judeus não podia ser abandonado por causa de ameaças (Ne 6.1-2, 10). As “boas ações” de Tobias eram exibidas a Neemias e as atividades de Neemias eram relatadas a Tobias (Ne 6.19). As ameaças e insinuações prosseguiram. No entanto, o objetivo claro de Tobias era tentar enfraquecer a liderança de Neemias.

3.2. As Estruturas de uma Liderança Eficaz.

Uma análise didática nos mostra que três características foram fundamentais no sucesso da vida do líder Neemias, a saber: seu caráter, sua confiança e sua coragem. Seu caráter vem do conhecimento e cumprimento da Palavra do Senhor. Sua confiança fez com que superasse um a um os obstáculos que lhe eram impostos. Já sua coragem ajudou-o a alcançar novos patamares de vitória. Revestido dessa força, ele prosseguiu na missão, certo de que se tratava da vontade de Deus a restauração da cidade de Jerusalém e reorganização social, econômica e religiosa do povo.

3.3. Um Caminho Traçado por Deus.

Ainda que cheio de obstáculos, quando temos certeza de que o caminho que trilhamos foi traçado por Deus, o melhor a fazer é permanecer nele, sem se desviar nem para a direita nem para a esquerda. Os planos que o Senhor Deus tem para os Seus servos não são para frustrá-los (Is 55.8-9; Rm 8.28), mas para fazer crescê-los. Tobias tentou amedrontar Neemias (Ne 6.19). Se ele tivesse se entregado ao medo, não cumpriria o que Deus havia reservado para ele fazer (1Cr 22.13; Pv 3.25).

CONCLUSÃO

Se os obstáculos diante de nós parecerem intransponível, a ordem é não desistir. Se chegamos até onde estamos, é porque o Senhor caminhou conosco até esse momento. Se permanecermos no centro de Sua vontade. Sua fidelidade nos garante que Ele continuará conosco em todo o tempo.
.

Bibliografia

Revista EBD Betel Dominical Professor – 4º trimestre 2018, ano 28, número 108 – Editora Betel

                     Vídeo Aulas Sobre a Lição – Bom Estudo!                      

 

Comentários do Facebook

Pr Soley
Pr Soley

Nascido aos 04 de abril de 1973 em Amambaí-MS. Subtenente da PMTO. Casado com a Diaconisa Eliana Machado e pai de dois filhos abençoados: Camilla Eduarda e Raul Soley. Converteu-se ao Evangelho de Cristo em Janeiro de 2010 na cidade de Colmeia-TO. Atualmente congrega na Igreja Assembleia de Deus Nação Madureira Campo de Colmeia-TO. Serve ao Senhor como Coordenador e Professor da EBD Betel na Igreja Sede, Professor do Curso Médio em Teologia pelo IBAD e Coordenador da Juventude da Região Médio Norte do Tocantins. Pela graça de Deus!

Deixe Seu Comentário Abaixo!