Lição 01 – Neemias um Homem Dedicado à obra de Deus  

 

 Texto Áureo        

“E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus” (Ne 1.4)

 Verdade Aplicada        

Na bonança ou na crise, a constância na oração é o pilar que concede ao cristão equilíbrio necessário na caminhada rumo ao céu.

 Objetivos da Lição        

1 Apresentar quem foi Neemias;
2 Identificar o contexto histórico-político da época em que Neemias viveu;
3 Mostrar como as reações de Neemias podem ser úteis para os cristãos hoje.

 Textos de Referência:         

Ne 1.1 – As palavras de Neemias, filho de Hacalias: No mês de quisleu, no vigésimo ano, estando eu na fortaleza de Suzã,
Ne 1.2 – veio Hanani, um de meus irmãos, com alguns de Judá, e lhes perguntei pelos judeus que tinham escapado ao exílio, e acerca de Jerusalém.
Ne 1.3 – Eles me disseram: Os que sobreviveram ao exílio e estão de volta na província, encontram-se em grande aflição e opróbrio. Os muros de Jerusalém estão derrubados, e as suas portas queimadas a fogo.

 Hinos Sugeridos:         

 Hino 153 

 Hino 225 

 Hino 305 

INTRODUÇÃO

Neemias liderou o terceiro e grande retorno para Jerusalém, depois do exílio na Babilônia. Seu interesse pelo bem-estar de Jerusalém e seus habitantes o levou a tomar uma atitude corajosa.

1. Neemias e a Obra de Deus

Neemias, que servia ao rei da Pérsia como copeiro (Ne 2.1), quando foi visitado pela comitiva da qual seu irmão Hanani fazia parte, demonstrando pleno interesse por Jerusalém e seus habitantes, perguntou-lhes em que estado aqueles se encontravam. Suas iniciativas, bem como suas reações, nos trazem grandes ensinamentos.

1.1. Um Homem que Não Esqueceu Suas Origens

Deus havia abençoado Neemias, dando-lhe um cargo de alta estima junto à corte real persa.
Em tais circunstâncias, ele poderia simplesmente ignorar a situação dos que haviam escapado e restado do cativeiro judeu. Todavia, em vez de permanecer indiferente às condições adversas dos que viviam em Jerusalém, prontificou-se a abrir mão das regalias a que tinha direito, para ajudar o próximo (Ne 2.5).

1.2. Um Homem Comprometido

O capítulo inicial do livro de Neemias nos mostra o servo do Senhor condoendo-se por seus conterrâneos Sua ação de indagar por Jerusalém e seus habitantes à comitiva que veio de Judá revela o seu comprometimento. (Ne 1.2). Quem pergunta se compromete. Não basta perguntar somente para manter-se informado ou por mera curiosidade. Ao receber informações acerca do sofrimento e das adversidades na vida do próximo, precisamos agir como Neemias: pensou, chorou, orou e agiu.

1.3. Um Homem em Constante Vigilância

A historia de Neemias indica que ele era um servo de Deus que mantinha estreita comunhão com o Pai Celestial (Ne 1.4-11; 2.4). Ele estava atento às situações adversas e preparado para as oportunidades. Somente o Senhor Deus poderia solucionar a situação da cidade de Jerusalém e seus habitantes. Neemias se colocou à disposição de Deus, que lhe permitiu estar em uma posição estratégica naquele momento e, assim, ser útil aos Seus propósitos.

2. Neemias e suas Reações Reflexivas

A tristeza não é uma emoção proibida ao cristão. Contudo, Neemias nos ensina que não podemos permanecer todo o tempo paralisado, cultivando tristeza e amargura (Ec 3.1-8). A Bíblia nos adverte a não permitir que o sol se ponha sobre nossa ira (Ef 4.26). O mesmo princípio pode ser aplicado à duração da tristeza (Rm 12.15;Sl 30.5). Analisemos, então, as três primeiras reações de Neemias.

2.1. Primeira Reação : Sentar-se

Um grave erro em muitos cristãos é não saber se posicionar ante uma notícia desagradável, uma ofensa ou coisa do gênero. Na posição de copeiro do rei, Neemias demonstrou possuir equilíbrio, longanimidade e domínio próprio (Gl 5.22;Pv 25.15;Rm 2.4;Cl 1.11). Em circunstâncias como essas, é sábio “deixar a poeira baixar”, isto é, não agir por impulso, sem antes consultar ao Senhor (Ne 1.4; 2.40).

2.2. Segunda Reação : Chorar

Após sentar-se, a segunda reação de Neemias foi chorar (Ne 1.4). Quando foi até a casa de Lázaro, que estava morto, o Senhor Jesus Cristo não conteve as lágrimas (Jo 11.33-34). Durante o choro, nossa visão se torna turva. Parece um convite a um período de reflexão, pois as imagens do mundo exterior não podem entrar. Esses momentos de introspecção, acompanhados de meditação bíblica e oração, têm a capacidade de trazer lucidez à nossa mente. Desta forma, temos a oportunidade de ponderar sobre as ações que pretendemos levar a termo (Gn 43.30).

2.3. Terceira Reação : Lamentar

Alguns sentidos da expressão “lamentar” são: “lastimar. afligir; condoer-se”. Outra variante acrescenta que lamento é um choro acompanhado de gemidos e clamores. Em Gênesis 23.2, vemos o emprego dessa palavra quando “Abraão lamenta a morte de Sara”. Assim como as razões de nossos lamentos podem ser muitas, Neemias também teve as suas. O profeta Jeremias, ao saber da condenação que Deus traria sobre a nação de Judá, registra os seus lamentos, que mais tarde seria chamado de livro das Lamentações de Jeremias. É interessante observar que a passagem bíblica de João 16.20 registra a promessa para aqueles que lamentariam a morte de Jesus Cristo. A pior das tragédias é quando permitimos que nossas lamentações evoluam para murmurações.

3. Neemias e suas reações dinâmicas

Neste tópico, abordaremos outras reações de Neemias. Veremos que pode ser feita uma divisão entre elas : A Palavra de Deus afirma que, após sentar-se, chorar e lamentar, Neemias tomou algumas atitudes (Ne 1.4). Vejamos:

3.1. Jejum, uma Recomendação Bíblica

Infelizmente, para alguns cristãos e igrejas, a prática do jejum parece ter sido totalmente abolida. Todavia, os benefícios de tal exercício não podem ser lançados para segundo plano. O livro de Atos dos Apóstolos deixa registrado que muitas decisões da Igreja Primitiva, sob direção do Espírito Santo de Deus, concernente à obra do Senhor foram precedidas de jejum e oração (At 13.2; 14.23). Além disso, Ele nos deixou o exemplo, pois também jejuou (Mt 4.2).

3.2. Oração, uma Arma Espiritual Poderosa

Neemias sabia que a situação da cidade de Jerusalém era dramática. Ele tinha uma escolha a fazer: agir ou omitir-se. Todavia, Neemias não poderia tomar nenhuma decisão sem antes consultar ao Senhor Deus. A oração é uma audiência com o Senhor dos Exércitos. Para consultarmos o Senhor, não é necessário senha ou agendamento de horário. Deus está disposto a nos ouvir a qualquer instante. Quando os desafios chegarem, nossa ação imediata deve ser a oração. O apóstolo Paulo nos recomendou a orar sempre (1Ts 5.17).

3.3. Conhecendo os Elementos da Oração

A oração de Neemias pode ser dividida em cinco partes. Nela, vemos os elementos de uma oração eficaz:
1) louvor (Ne 1.5);
2) ação de graças (Ne 1.5);
3) arrependimento (Ne 1.6-7);
4) petição (Ne 1.8-10); e
5) compromisso (Ne 1.11).
Infelizmente, a maior parte das orações dos cristãos contém apenas o item 4. É uma pena que um significativo número de cristãos não siga as recomendações do Senhor Jesus Cristo (Mt 6.9-13). Assim como Neemias, devemos constantemente pedir ao Senhor Deus que guie os nossos passos e direcione nossos caminhos, para que não tomemos decisões equivocadas e nem precipitadas, como Esaú (Gn 25.29-34) e Jefté (Jz 11.30-31, 34-40), por exemplo. É importante orarmos com a Bíblia, pois a Palavra de Deus é a lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos (Sl 119.105). Somente Deus pode provar e conhecer nossos pensamentos (Sl 139.23). Apenas Ele sabe se há em nós algum caminho mau (Sl 139.24).

CONCLUSÃO

A vida de Neemias nos ensina a estar disposto a servir e obedecer, a abrir mão do lugar de conforto e deixar-se usar por amor à causa do Senhor. Neemias entristeceu-se, mas não se deixou dominar por esse sentimento. Ergueu a cabeça, clamou a Deus e avançou. Que aprendamos com os seus passos.

Bibliografia

Revista EBD Betel Dominical Professor – 4º trimestre 2018, ano 28, número 108 – Editora Betel

                     Vídeo Aulas Sobre a Lição – Bom Estudo!                      

 

Comentários do Facebook

Pr Soley
Pr Soley

Nascido aos 04 de abril de 1973 em Amambaí-MS. Subtenente da PMTO. Casado com a Diaconisa Eliana Machado e pai de dois filhos abençoados: Camilla Eduarda e Raul Soley. Converteu-se ao Evangelho de Cristo em Janeiro de 2010 na cidade de Colmeia-TO. Atualmente congrega na Igreja Assembleia de Deus Nação Madureira Campo de Colmeia-TO. Serve ao Senhor como Coordenador e Professor da EBD Betel na Igreja Sede, Professor do Curso Médio em Teologia pelo IBAD e Coordenador da Juventude da Região Médio Norte do Tocantins. Pela graça de Deus!

Deixe Seu Comentário Abaixo!