EBD Betel Lição 13 – A Importância de Sermos Zelosos e Vigilantes.

 

Texto Áureo

“Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor.” (Rm 12.11)

Verdade Aplicada

Ainda hoje, o abra de Deus conta com aqueles que Atendem ao chamado de Deus com amor e zelo.

Objetivos da Lição

1 – Mostrar que a obra do Senhor requer constante vigilância;
2 – Ensinar o perigo de tolerarmos o mal;
3 – Enfatizara prática da oração como base de toda atividade da Igreja.

Textos de Referência

Ne 13.1 – Naquele dia, leu-se no livro de Moisés aos ouvidos do povo; e achou-se escrito nele que os amonitas e os moabitas não entrassem jamais na congregação de Deus,
Ne 13.2 – Porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; antes, assalariaram contra eles a Balaão para os amaldiçoar, ainda que o nosso Deus converteu a maldição em bênção.
Ne 13.3 – Sucedeu, pois, que, ouvindo eles esta lei, apartaram de Israel toda mistura.
Ne 13.30 – Assim, os limpei de todos os estranhos e designei de cargos dos sacerdotes e dos levitas, cada um na sua obra.

Hinos Sugeridos: 

Hino 62

Hino 408

Hino 581

 

INTRODUÇÃO

As Sagradas Escrituras nos dizem que o próprio Senhor confirma os passos de um homem bom (Jó 34.21, Sl 37.23). O Senhor age dessa maneira porque pode nos ler por dentro. Foi assim que Ele agiu com Neemias.

1. Há Sempre Alguma Coisa a Ser Feita

Na vida, sempre nos deparamos com uma tarefa inacabada. Os afazeres não cessarão até o fim da vida. J.Packer ilustra esse tipo de experiência com a imagem das caixas chinesas; cada uma que se pega tem outra dentro, à espera. É o que se repete na vida familiar, no trabalho ou na igreja. Para cada meta atingida uma outra se apresenta. Vejamos os princípios adotados por Neemias:

1.1 Removendo os Abusos

O povo estava arrependido e evidenciando isso através de frutos (Ne 13.3, Lc 6.44, Mt 12.33). Agora, nesse esforço de agradar a Deus, põe à parte todo tipo de mistura. Mistura não quer dizer proibição de contatos ou interatividade entre cristãos e incrédulos. Misturar é entregar-se a um envolvimento mais profundo, onde práticas pagãs são assimiladas mediante concessões mútuas. Não devemos em nenhuma hipótese negociar nossa salvação. Não se negocia o inegociável.

1.2 Falando uma Mesma Língua

Voltemos no capítulo 7, quando Neemias aponta Hanani e Hananias para ocuparem postos-chave. Esse é um segredo já conhecido. A vida pública deste servia de exemplo inspirador. Eram homens especiais que tomariam em seus ombros a responsabilidade da carga administrativa. Com a muralha terminada, era hora de atender também à situação moral e espiritual do povo e Neemias precisava contar com esses obreiros de valor, cujas prioridades eram dignas do cargo a ser ocupado. Hananias, por exemplo, foi descrito como fiel e temente a Deus em um grau que sobrepujava ao da maioria (Ne 7.2).

1.3 Sempre Haverá Oposição

Mesmo com todas as ações já realizadas, a oposição ainda se fazia presente (Ne 13.4). Não apenas a exterior, representava por Sambalate e Gesém, mas também a doméstica, configurada pelos nobres subversivos. Há também outra situação, a oposição de Tobias, que articulava entre as duas primeiras. Com Tobias, a coisa era diferente, pois usufruía do convívio íntimo de judeus de alta classe. Essa sinergia criada junto aos judeus fazia com que Tobias fosse visto como um bom sujeito. Isso legitimava sua livre circulação e, por conseguinte, melhores condições para planejar o mal.

2. O Perigo da Tolerância ao Mal

Após cerca de doze anos como governador, Neemias retornou para junto do rei Artaxerxes (Ne 5.14; 13.6). Nesse intervalo, muitos inimigos se aproveitaram da ocasião para agir com má fé. Neemias constatou que o Templo e o culto foram negligenciados (Ne 10.39; 13.10-11). Neemias procurou a causa e descobriu que ela estava na tolerância ao mal.

2.1 Enfrentando os Problemas

Com a sondagem dos problemas e a identificação de sua origens, Neemias tomou decisões cruciais para salvá-los. O próximo problema enfrentado foi o da distribuição de quinhões destinados aos levitas. Neemias descobriu que não estavam sendo pagos. Então, empreendeu um conjunto de atividades, buscando a restauração dessas práticas. O resultado é que os sacerdotes e levitas voltaram a exercer suas funções anteriores. Neemias deteve firmemente as rédeas administrativas nessa ocasião, inclusive com a substituição de Eliasibe por homens dignos de confiança.

2.2 Chamando o Mal por Outro Nome

O fato da Igreja acolher pessoas feridas, sofridas, desprezadas e agir como o bom samaritano (Lc 10.33), não dispensa a necessidade de vigilância quanto àqueles que querem permanecer e conviver no seio da Igreja procurando semear corrupção entre os discípulos de Cristo. O problema está em acolher quem não deve. Tobias era amonita (Ne 2.19, Dt 23.3-4). A liderança, ignorando os ideais de Neemias, se importava agora em ser generosa para com os inimigos, deixando de lado a Lei de Deus. Ainda que o profeta Malaquias, que exerceu seu ministério naquela época, chamasse a atenção para o contrário (Ml 2.1-9).

2.3 Agir na Dependência de Deus

A vontade de comerciar com os povos que estavam pelas cercanias era muito grande. Para não perderem tempo, faziam todos os preparativos no sábado mesmo. A questão aqui está relacionada à dependência de Deus. A Igreja não está obrigada a observar o sábado como os judeus. Pelo fato de Jesus ter ressuscitado no primeiro dia da semana (Mc 16.9), os discípulos passaram a considerar este dia como o principal para as reuniões de culto (At 20.7; 1Co 16.1-2). Mas, mesmo no domingo, muitos têm negligenciado suas responsabilidades na Casa de Deus por conta de outros afazeres. Quando nos tornamos afoitos, negligenciamos a ordem divina. Deus queria que Seu povo o obedecesse, ainda que parecesse estar em desvantagem em relação aos povos vizinhos. A obra de Deus, no tempo de Deus, tem os recursos de Deus, Busquemos o Seu Reino e Deus cuidará de nós (Mt 6.33).

3. A Continuação de um Bom Trabalho

O exemplo de Neemias deve ser tomado como impulso vital para a Igreja de hoje. Ele foi um homem decidido e sempre focado em seus objetivos. Precisamos instar pela primazia da Palavra. O modelo instaurado por Neemias foi útil e devolveu ao povo o status de povo escolhido. A Igreja deve ser instrumento de Deus para dar sequência aos trabalhos efetuados pelos pais da fé.

3.1 Refutando as Críticas à Neemias

Há quem julgue as ações Neemias. Contudo, ao analisá-las com mais vagar, é possível identificar as razões que o levaram a agir de tal forma. Há quem aponte os episódios nos quais lança fora os móveis de Tobias e a passagem em que corta os cabelos dos que contraíram casamentos mistos como momentos em que Neemias mostra-se descontrolado e longe de Deus (Ne 13.8,25). É preciso cuidado com essas afirmações, pois o próprio Jesus também se mostrou irado, quando expulsou do Templo os vendedores e os cambistas, quase 500 anos depois, ainda que o texto não afirme em nenhum momento que Jesus os tenha golpeado (Mt 21.12).

3.2 Um Homem Zeloso

Complementando o tópico anterior, na verdade estamos diante de um homem zeloso. Zelo é um desejo ardente de agradar a Deus, fazer a Sua vontade e promover Sua obra no mundo de todo modo possível. Hoje, em tempos de modernização, seria uma desinteligência agir com violência para se tentar corrigir uma situação. Talvez soe mais como um escândalo junto a uma sociedade ávida por achar um erro nas igrejas evangélicas. Portanto, devemos viver o fruto do Espírito descrito em Gálatas 5.22. É possível ser zeloso e é preciso agir na direção do Espírito Santo.

3.3 Um Homem de Oração

Neemias sempre intercalou suas ações com oração (Ne 13.14,22,29-32). Estamos mais do que nunca em tempos de se buscar ao Senhor. As ações da Igreja devem ser sustentadas com oração. Os sinais dos tempos estão ai, a figueira está brotando (Mt 24.6-8;32-34). Muitos cristãos têm buscado primeiro os seus próprios interesses. Buscam tudo que diz respeito a este século somente. É preciso buscar o que é duradouro (Is 55.6; Jr 29.13). O tempo é hoje.

CONCLUSÃO

O livro de Neemias abordou a reconstrução das muralhas, mas também contemplou a questão da renovação espiritual, da redescoberta de que somos dependentes de Deus. A Igreja do Senhor ainda está na Terra e precisa ter em mente que há uma missão a cumprir até a volta de Jesus.

Questionário

1. Como Hananias foi descrito?
R. Como fiel e temente a Deus em um grau que sobrepujava ao da maioria (Ne 7.2).

2. O que Neemias constatou?
R. Que o Templo e o culto foram negligenciados (Ne 10.39; 13.10-11).

3. Quem era amonita?
R. Tobias (Ne 2.19; Dt 23.3-4).

4. Qual dia foi considerado pelos discípulos o principal para as reuniões
de culto?

R. O primeiro dia da semana (At 20.7; 1Co 16.1-2)

5. Quem sempre intercalou sua ações com oração?
R. Neemias (Ne 13.14,22,29-32).

 

Bibliografia

Revista EBD Betel Dominical Professor – 4º trimestre 2018, ano 28, número 108 – Editora Betel

                     Vídeo Aulas Sobre a Lição – Bom Estudo!                      

 

 

 

Clique aqui no link da Escola Bíblica Dominical e veja as demais lições!


Pr Soley
Pr Soley

Nascido aos 04 de abril de 1973 em Amambaí-MS. Subtenente da PMTO. Casado com a Diaconisa Eliana Machado e pai de dois filhos abençoados: Camilla Eduarda e Raul Soley. Converteu-se ao Evangelho de Cristo em Janeiro de 2010 na cidade de Colmeia-TO. Atualmente congrega na Igreja Assembleia de Deus Nação Madureira Campo de Colmeia-TO. Serve ao Senhor como Coordenador e Professor da EBD Betel na Igreja Sede, Professor do Curso Médio em Teologia pelo IBAD e Coordenador da Juventude da Região Médio Norte do Tocantins. Pela graça de Deus!